EM TEMPO
24/04/2019 - Edição 192 - Abr/2019
Denise Delfim

Vila ganha Associação de Moradores

A representatividade dos moradores por meio de uma associação forte e atuante é fundamental para o desenvolvimento de políticas que assegurem a qualidade de vida da comunidade e a preservação dos patrimônios ambiental e cultural que caracterizam a Vila Mariana.

Essa representatividade já é realidade e tem transformado as relações comunitárias em muitos bairros de São Paulo. As associações são tão organizadas que se mobilizam também por causas grandiosas como a cobrança abusiva de IPTU ou o emaranhado de fiação elétrica que enrosca pelas árvores e oferecem riscos à população.

A Vila Mariana sofre dos mesmos problemas dos demais bairros, mas tem especificidades que precisam ser consideradas pelos poderes público e econômico. Por ser um bairro central, próximo ao parque Ibirapuera e metrô, foi prejudicado no último plano diretor ao ser liberada a altura dos prédios com 16 andares num raio de 400 metros das estações do Metrô – justamente onde a Vila Mariana se formou e está a Bacia do Sapateiro.

“As inúmeras construções de prédios descaracterizam a peculiaridade local, desrespeitando a topografia original do bairro, suas ruas de paralelepípedo, seus bolsões de casas, seus rios e lençol freático, que são originados da porção alta do ‘Espigão da Paulista’ (hoje ocupados pelas ruas Vergueiro e Domingos de Morais), retirando enormes camadas de solo e aumentando a impermeabilidade. É frequente a observação de prédios que bombeiam ininterruptamente água do freático de seus subsolos para a calçada”, dimensiona o geólogo Giuliano Saraceni Issa Cossolin.

Ele e mais 11 moradores do pedaço, empenhados em garantir a qualidade de vida do bairro, fundaram no dia 8 de maio de 2018 a Associação de Moradores da Vila Mariana (AVM). Para isso, foram muitas reuniões para criar um estatuto que abraçasse as dimensões e as características da região para ser uma entidade máxima de representação, reivindicação, coordenação e defesa dos interesses gerais dos moradores da região por ela representada.

Dentre as finalidades da AVM estão representar os moradores do bairro, além de encaminhar e acompanhar suas reivindicações junto aos poderes constituídos; promover e contribuir para o bem-estar da comunidade através do desenvolvimento social e econômico de forma sustentável, aliada à preservação cultural e ambiental da região; colaborar com poderes públicos, conselhos e outras entidade da comunidade, fornecendo-lhes conhecimento dos problemas do bairro e pleiteando as respectivas soluções; e coibir e denunciar às autoridades competentes o uso irregular de imóveis no perímetro de abrangência da AVM (ver mapa acima), assim como atividades irregulares em ruas e praças.

A Associação de Moradores da Vila Mariana também atuará para fortalecer a união dos moradores por meio de atividades sociais. A meta é contribuir para a formação e desenvolvimento da vida comunitária dos moradores, promover diálogos com crianças, adolescentes, adultos e idosos de forma integrada, transgeracional e desenvolver ações recreativas, assistenciais, culturais e ambientais”, destaca Giuliano, presidente da AVM.

Em 18 anos dedicados à edição do jornal Pedaço da Vila, a jornalista Denise Delfim considera o momento crucial para a união dos moradores. “Nesse tempo de jornal eu conheci uma vizinhança muito apaixonada pela Vila Mariana, muito preocupada com o que está por vir e também muito disposta a defendê-la. Temos que ter voz nas decisões que impactam negativamente o futuro da nossa vila. Sempre nos faltou uma organização que nos representasse de fato. A AVM nasce para exercer esse papel”.

Dessa relação vizinhos-leitores surgiu o comprometimento de alguns moradores para compor a diretoria e o conselho fiscal da Associação de Moradores da Vila Mariana pelo período de 2 anos. “Depois de uma série de reuniões para debater a melhor estrutura e a área de atuação da associação (veja no mapa abaixo), escrevemos o seu estatuto e a AVM foi registrada, cumprindo todas as determinações legais”, afirma Denise Delfim, Diretora de Comunicação da AVM.

 

Defender a região do processo de verticalização desordenado, preservar o patrimônio arquitetônico e ambiental do bairro e corroborar com a relação de vizinhança serão pautas constantes.

O presidente Giuliano assegura que “não se trata de ser contra as construtoras e sua mão-de-obra empregada, mas sim de racionalizar o uso e ocupação do solo na região. O bairro tem um grande potencial turístico! capaz de traçar a cronologia da história da cidade”, destaca Giuliano.

A área de abrangência da AVM pode ser conhecida no mapa acima. “Por se tratar de uma região extensa e com diferentes características e problemas, a associação está trabalhando em comissões para suprir as diversas demandas”, explica Denise Delfim.

Durante a gestação da Associação dos Moradores da Vila Mariana, no último ano, seu conselho se envolveu em muitas ações em defesa do bairro. A diretoria (veja box) se dividiu para apoiar a campanha IPTU Justo, participar das discussões sobre a concessão do Parque Ibirapuera e da revitalização da Praça Soichiro Honda, apoiar o Plantio Global e a festa Junina do Instituto Biológico, além de  promover uma palestra sobre a formação histórica do bairro e seus rios e nascentes, na Belas Artes.

Neste mês, a AVM esteve ao lado dos moradores do entorno das ruas Fabrício Vampré e Benito Juarez na mobilização pela abertura do processo de tombamento da vilinha da década de 1930 localizada na Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 289. Não fosse o engajamento da vizinhança, o conjunto de relevância arquitetônica seria demolido.

“A associação está presente para promover conhecimento, para ajudar na construção e apoio ao debate e à reivindicação de melhorias para a comunidade, na preservação da qualidade de vida no bairro, seja ela social, cultural ou ambiental”, reforça a Diretora Cultural da AVM, a arquiteta Eliana Menezes.

A Associação de Moradores da Vila Mariana (AVM) será apresentada à comunidade no dia 8 de maio durante a sua 1ª Assembleia Geral Ordinária, que acontecerá às 20 horas no Instituto Biológico. “Agora cabe aos moradores se associarem para tornarmos a AVM uma associação representativa e forte!”, conclui Denise. Para conhecer as diretrizes para se associar e acompanhar as pautas em destaque, acesse o site da associação www.vilamariana.org.br ou a página no Facebook: Viver Vila Mariana.


Comentários
Inclua um comentário











 
Todos os direitos reservados - Pedaço da Vila - 2019